Disseminação e germinação das sementes
Informação retirada do livro O Mistério da Vida - 6.º Ano, Texto Editores

Para que se desenvolva uma nova planta é necessário que, em primeiro lugar, as sementes se espalhem no solo. Este processo é designado por disseminação.

Em muitos casos, a disseminação é feita pelo vento, pois as sementes são muito leves e têm pêlos ou membranas que facilitam o seu transporte.

Algumas sementes são disseminadas por animais que as transportam agarradas aos seus pêlos ou que ingerem os frutos carnudos e sumarentos que as contêm, libertando posteriormente as sementes intactas nas suas fezes.

A água também tem um papel muito importante na disseminação de certas sementes que, ao flutuarem, são transportadas para outros locais.

A germinação das sementes
Após a disseminação da semente, quando esta se mantém em bom estado e encontra condições ambientais favoráveis - existência de ar, humidade e temperatura adequadas - germina, ou seja, o embrião desenvolve-se à custa das substâncias de reserva, originando uma nova planta.

No início da germinação da semente observam-se, no embrião, três estruturas - a radícula, o caulículo e a gémula. Com a continuação da germinação, a partir da radícula desenvolve-se a raiz, a partir do caulículo origina-se o caule, e a partir da gémula formam-se as primeiras folhas, para que a planta possa realizar a fotossíntese e produzir alimento.

















 
Política de Privacidade | Termos de Utilização | Quem Somos
2001 © Texto Editores - Todos os Direitos Reservados.